sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Musa da Acadêmicos do Tatuapé, Gabi Miranda ousa do decote e arrasa no último ensaio técnico da escola


Musa da Acadêmicos do Tatuapé, Gabi Miranda ousa do decote e arrasa no último ensaio técnico da escola

A modelo e atriz Gabi Miranda, Musa da Bateria da Acadêmicos do Tatuapé, ousou no decote no último ensaio técnico da escola de samba antes do desfile oficial no sambódromo do Anhembi, em São Paulo.

"Fechamos o último ensaio com chave de ouro. Quis vestir uma das cores da escola para dar sorte e por isso vim com um vestido azul todo com Swarowski. Agora é ansiedade tomando conta. Sexta-feira estaremos na avenida com toda garra de um trabalho para a maioria de um ano todo e meu desde o meio do ano fazendo bate e volta do Rio de Janeiro a São Paulo", afirma a morena de 28 anos.

"Criei amor pelo Carnaval e hoje foi emocionante demais ver nossa madrinha oficial como sempre dando sua palavra inicial para nossos desfiles. A Leci Brandão, na verdade, é nossa verdadeira rainha. Ela abrilhanta a avenida com sua energia. A voz do Celsinho é contagiante e a Tatuapé simplesmente está incrível e em sintonia", exalta Gabi Miranda.

Beldade posou nua após superar a anorexia

A Musa da Acadêmicos do Tatuapé e que também desfilará pela Grande Rio, recentemente posou nua para o site Diamond Brazil. "Fiz o meu primeiro ensaio nu para o Diamond Brazil a convite da Viviane Bordin, dona do site de ensaios sensuais. Confesso que fiquei um pouco receosa pois ainda vivemos em um país hipócrita onde a pele à mostra é algo escandaloso. Na verdade a ignorância é que é. Tenho certeza que serei muito criticada pois ainda não tenho fama suficiente para as pessoas julgarem. Estou galgando meu espaço, tenho estudo, sou atriz, sou modelo, sou uma mulher. Uma mulher que odiava seu próprio corpo, que quase morreu de anorexia, que quase tirou a própria vida. A verdade então é que me sinto honrada de poder mostrar livremente meu corpo sem me preocupar com o que será pensado sobre mim. Vejo como uma vitória passar por cima de uma tristeza que é uma doença e hoje poder ver um trabalho lindo sobre o que quatro anos atrás era meu maior problema. Meu corpo, minhas regras e isso não faz de mim pior por mostrá-lo e sim faz de mim uma mulher que perdeu o medo dos parâmetros da sociedade e libertou-se", desabafa ela.

Gabi Miranda teve bulimia seguida de anorexia após a morte do seu irmão e a perda do seu filho: "Comecei com bulimia depois de uma forte depressão por conta do falecimento do meu irmão e por perder meu filho. Confesso que tentei tirar minha vida pois não aguentava o tratamento de vários remédios e por ter que literalmente reaprender a comer".

A Musa da Bateria da Acadêmicos do Tatuapé conta que a psicanálise a ajudou a superar a doença: "Comecei a fazer psicanálise. Sofro de crise de pânico e elas se tornaram mais frequentes quando estava doente. Ainda sofro com isso, tanto que semanas atrás passei uma semana internada pois minha pressão estava muito baixa. Corri muito risco de vida pois fiquei cinco dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e poderia ter uma parada cardíaca a qualquer momento devido à fraqueza. Lembro que meu corpo se encheu de roxos devido à má circulação do sangue".

O esporte foi outro fator importante para dar força à atriz e modelo: "Não estou 100% curada pois a anorexia é como um botãozinho. Se você não cuidar, volta tudo novamente. Hoje fiz do esporte uma válvula de escape para entender que posso comer sem ter a neurose que vou engordar. Já tive algumas recaídas e de vez em quando ainda sinto um pouco da culpa. A reportagem na revista Veja fez com que várias mães entrassem em contato comigo pedindo ajuda. Acredito que o mercado mostra um padrão de beleza e a maioria das mulheres tenta se ajustar nele. É preciso estar atento aos sinais, pois a anorexia é uma doença séria e que mata".

"Às vezes a própria família custa a aceitar. Aconteceu isto com a minha. O que posso dizer é que o importante é estar saudável. Venho levando uma vida mais fitness porém sem me privar de comer bem. É preciso estar com a cabeça sã e ter um entendimento que o padrão é nós que fazemos. Mas como estamos nos referindo a uma doença é preciso tratamento e acompanhamento médico", finaliza Gabi Miranda.

Sugestão de pauta
Foto: Divulgação / MF Press Global

 




0 comentários:

Postar um comentário